Postagem em destaque

CONHEÇA A CÂMARA EXTERNA DA ORDEM ROSACRUZ, AMORC

Caro Buscador, Seja bem-vindo à Câmara Externa da Antiga e Mística Ordem ROSACRUZ, AMORC! Esta modalidade de aproximação...

sábado, 26 de setembro de 2015

OS PERIGOS DA LAMENTAÇÃO Adilson Rodrigues, F.R.C.


OS PERIGOS DA LAMENTAÇÃO

Adilson Rodrigues, F.R.C.

Aprendemos muitas coisas nesta vida com os nossos pais e orientadores. Na verdade, é na infância que aprendemos certos padrões de pensar, falar e reagir. A satisfação de viver e curtir a vida talvez se constitua num dos mais formidáveis aprendizados que devemos vivenciar. Todavia, com frequência observamos pessoas insatisfeitas, aborrecidas e mal-humoradas.




A insatisfação pode acarretar o desenvolvimento do nosso lado crítico e intolerante. As consequências são muito negativas. Não ouso dizer que tudo que aprendemos é influência dos pais. Existem forças externas, assim como forças internas, nos estimulando.



Mas falemos da lamentação. Ela também é um problema de aprendizado? Uma influência externa? Você quando lamenta está imitando a mãe, o pai, ou os avós? É claro que a lamentação manifesta insatisfação, mas ela pode ser um hábito, e a pessoa nem percebe que está lamentando. Chamamos isto de uma atitude inconsciente.




A lamentação causa muito desgaste. Quando você faz alguma tarefa, e faz reclamando, o desgaste é duplo. É a pessoa submissa revoltada. A lamentação mata a esperança. As pessoas se irritam. Atrai-se o negativo. Além destes, um outro grande perigo que as pessoas que lamentam correm é o perigo de sentirem-se vítimas, “coitadinhas”. E estes sentimentos podem levá-las a achar que são as únicas sofredoras do mundo, ou as mais sofredoras do mundo.



Neste estágio de vítimas, coitadinhas, as pessoas podem correr um outro risco: o de se sentirem crianças dependentes. Este estágio leva a pensarem: “por favor, façam por mim a minha vida.” Que perigo!!! Devemos mobilizar nossas forças e potencialidades para vivermos nossa vida, para apreciar a vida, e não a apressar.



Outro grande risco da lamentação é esperarmos dos outros o conforto. Quando lamentamos podemos, inconscientemente, esperar uma palavra de apoio, uma palavrinha de força e esperança. Esperar dos outros sempre é um risco. E se esta palavrinha de apoio não vier?

Pense nisso e seja feliz!



QUANDO O DISCÍPULO ESTÁ PRONTO, O MESTRE APARECE



A incúria, a preguiça, e a indiferença são obstáculos intransponíveis à realização dos objetivos espirituais. Não é o Templário Rosa-Cruz um batalhador, um “Soldado do Cristo”? Ao mesmo não está confiada a tão elevada Missão de preparar o terreno para o afloramento de uma “Nova Civilização”? Segundo os Mestres, para essas questões a resposta é uma só: “SIM”. Pois está cometendo um grave e imperdoável erro todo aquele estudante que cruza os braços, deixando acontecimentos significativos correrem a revelia. Da mesma forma, todo aquele neófito que deixa os problemas se avolumarem, sem um gesto sequer para resolvê-los satisfatoriamente..



Cada discípulo deve zelar pela própria evolução. Deve se esforçar para compreender a Missão e assumir o máximo de responsabilidade no que tange a consecução dos compromissos assumidos. Isso é o que esperam os Nossos Amados Mestres. Com o nosso espírito cheio de defeitos, criticando, resmungando, e desobedecendo, não daremos nenhum passo em nossa evolução e jamais surpreenderemos a verdade com suficiente penetração.



Um adepto pode até ser o último colocado numa hierarquia espiritual, mas isso não importa se o desejo de servir aos Mestres é grande. Se nos esforçarmos para nos livrarmos dos nossos erros, que nos prejudicam tanto, seremos tocados pela Luz Divina. Essa energia pode penetrar nos mais tortuosos e obscuros recantos da alma humana, modificando-a intensamente para o bem.


Sejamos exemplos dignificados de pontualidade e de devoção, pois esse último sentimento é o mais vantajoso exercício para uma evolução firme e segura. A devoção impõe ao espírito o salutar desejo de servir com grande amor, com veneração e com sacrifício à grande causa do Cristianismo.



Vamos trabalhar incansavelmente para substituir os nossos erros, vícios e defeitos por virtudes e qualidades. Quando o discípulo está pronto, o Mestre aparece!


Fonte: Loja ROSACRUZ Maceió




DIVINDADE INTERIOR - Lenda Hindu



 «Uma antiga lenda hindu diz-nos que antigamente, todos os homens eram deuses. Mas eles abusaram de tal forma da sua divindade que Brahma, o mestre dos deuses, decidiu tirar-lhes todos os poderes divinos e escondê-los num lugar onde fosse completamente impossível encontrá-los. O grande problema existiu em encontrar o lugar apropriado. 

Os deuses menores foram convocados para uma  reunião a fim de se resolver o problema. Eles propuseram o seguinte: 

Enterrar a divindade do homem na maior profundeza da terra. Mas Brahma respondeu: 

"Não, não é o suficiente, porque o homem desenterrá-la-ia e encontrá-la-ia." 

Então os deuses replicaram: 

"Neste caso, colocaremos  a divindade no mais profundo dos oceanos." 

Mas Brahma respondeu de novo:

 "Não, mais cedo ou mais tarde, o homem exploraria a profundeza dos oceanos e certamente que um dia, a  encontraria e a traria à superfície." 

 Então os deuses menores concluíram:

"Nós não sabemos onde a vamos esconder porque não existe na terra nem no mar um lugar seguro que o homem jamais encontrasse."

Brahma disse:

"Vejamos o que faremos à divindade do homem: vamos escondê-la no mais profundo dele próprio, é o único lugar onde ele nunca pensará procurar."



A conclusão desta lenda é:


Desde essa altura que o homem fez a volta a terra, explorou-a, escalou-a, emergiu-a e escavou-a, à procura de qualquer coisa que se encontra dentre dele próprio. 

Eric Butterworth, Discover the Power Within Yourself








ORAÇÃO DA REALIZAÇÃO






sexta-feira, 25 de setembro de 2015

as DEZ LEIS da REALIZAÇÃO - Exercício 10 - A Prática da Entrega


"A fim de podermos reclamar as dádivas para as quais fomos criados para receber, primeiro temos que merecer essas dádivas”.

"O que acontece é que, no dia a dia, nos esquecemos facilmente de aspectos fundamentais para uma existência feliz, como ajudar ao próximo, apreciar as coisas simples da vida, deixando um pouco de lado as expectativas com o futuro e aproveitando o que o presente pode nos dar".


Veja quais são as DEZ LEIS da REALIZAÇÃO propostas por Ian Mecler:

1) Compartilhar, por meio de pequenos gestos. "Olhar com mais atenção aqueles que nos cercam já é um ótimo começo para quem quer compartilhar mais".

2)Paciência, que precisa ser cultivada a cada dia.

3) Capacidade de enfrentar obstáculos.

4)Ver o mundo como um reflexo do que somos.

5)Todos os problemas da humanidade, doenças, insegurança
 material emocional, podem ser vencidos se estabelecermos um foco.

6) Aprendizado para se tomar uma decisão satisfatória, entre tantas possibilidades de escolha.

7)Sair do plano das ideias e começar a agir.

8)Desfrutar da alegria das coisas mais simples e viver o aqui e agora.

9)Ter determinação, essencial para conquista de nossos sonhos.

10) Cuidar com dedicação do que é realmente essencial.



Estaremos postando 10 exercícios diários, baseados no livro
 "as DEZ LEIS da REALIZAÇÃO".

A cada dia vamos nos dedicar na prática proposta para o mesmo. 

Os exercícios serão postados diariamente

“ Concentra princípios universais, de grande simplicidade, mas que uma vez colocados em prática, trazem grandes bênçãos para a nossa vida",  Ian Mecler

Fonte: Portal da Cabala.

Segue abaixo o 10º exercício, a ser feito no 10º dia: 




GOTAS DE SABEDORIA





..


quarta-feira, 23 de setembro de 2015

as DEZ LEIS da REALIZAÇÃO - Exercício 9 - A Prática da Determinação



"A fim de podermos reclamar as dádivas para as quais fomos criados para receber, primeiro temos que merecer essas dádivas”.

"O que acontece é que, no dia a dia, nos esquecemos facilmente de aspectos fundamentais para uma existência feliz, como ajudar ao próximo, apreciar as coisas simples da vida, deixando um pouco de lado as expectativas com o futuro e aproveitando o que o presente pode nos dar".


Veja quais são as DEZ LEIS da REALIZAÇÃO propostas por Ian Mecler:

1) Compartilhar, por meio de pequenos gestos. "Olhar com mais atenção aqueles que nos cercam já é um ótimo começo para quem quer compartilhar mais".

2)Paciência, que precisa ser cultivada a cada dia.

3) Capacidade de enfrentar obstáculos.

4)Ver o mundo como um reflexo do que somos.

5)Todos os problemas da humanidade, doenças, insegurança
 material emocional, podem ser vencidos se estabelecermos um foco.

6) Aprendizado para se tomar uma decisão satisfatória, entre tantas possibilidades de escolha.

7)Sair do plano das ideias e começar a agir.

8)Desfrutar da alegria das coisas mais simples e viver o aqui e agora.

9)Ter determinação, essencial para conquista de nossos sonhos.

10) Cuidar com dedicação do que é realmente essencial.


Estaremos postando 10 exercícios diários, baseados no livro
 "as DEZ LEIS da REALIZAÇÃO".

A cada dia vamos nos dedicar na prática proposta para o mesmo. 

Os exercícios serão postados diariamente

“ Concentra princípios universais, de grande simplicidade, mas que uma vez colocados em prática, trazem grandes bênçãos para a nossa vida",  Ian Mecler

Fonte: Portal da Cabala.

Segue abaixo o 9º exercício, a ser feito no 9º dia: 


Ter determinação, essencial para conquista de nossos sonhos.


 











FELIZ PRIMAVERA - 23 de setembro


                                 

"Há uma primavera em cada vida:
é preciso cantá-la assim florida, 
pois se× Deus nos deu voz, foi para cantar! 
E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
que seja a minha noite uma alvorada, 
que me saiba perder...para me encontrar... Florbela Espanca


                                                          

A primavera chegará, 
mesmo que ninguém mais saiba seu nome, 
nem acredite no calendário,
nem possua jardim para recebê-la. 

...Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. 
Algum dia, talvez, 
os homens terão a primavera que desejarem,
no momento que quiserem,
independentes deste ritmo, 
desta ordem, deste movimento do céu. 
E os pássaros serão outros, 
com outros cantos e outros hábitos,
e os ouvidos que por acaso os ouvirem 
não terão nada mais com tudo aquilo que,
 outrora se entendeu e amou.                 Cecília Meireles